354 – O Professor Stephen Hawking… e eu.

Quando havia lido o livro do Stephen Hawking, Uma Nova História do Tempo, lembro de não ter entendido quase nada. Gravei algumas palavras estranhas, geodésica. Durante a leitura, perguntas. “O que que é isso?? Como assim??”. Estava no final do Ensino Médio e fui prestar física com uma leve segurança que o encantamento pela matéria me proporcionava. Adorava aprender, entender, ir de confronto ao desconhecido. E no final, gostava de explicar aos amigos o que havia aprendido.

Eis que você vai para a faculdade e aí percebe que é uma batalha perdida achar que vai saber tudo. Mesmo assim você está disposto a estudar, porque a cada descoberta, seu mundo muda e, então, reflete sobre tudo que acreditou no passado. As engrenagens do mundo vão mudando. Isso para mim era e ainda é sensacional. Sinto me vivo a cada vez que tenho que alterar meu entendimento sobre o mundo. É um choque. É um banho de água fria. É alterar a percepção da realidade, o que para os filósofos aristotélicos era entendida como movimento.

Começo a dar aulas de física e empenho-me a explicar as coisas da melhor maneira possível. Legal, bacana. Acho que a moçada está conseguindo chegar nas respostas. E então, o jogo acaba aí. O desafio acaba aí. Não há mais o que fazer. Fim. Será mesmo a linha de chegada? Algo está errado. Essa sensação de papel cumprido me é estranha. Tanto em relação a mim quanto à molecada.

Havia esquecido que o que me faz ir atrás do conhecimento é a dúvida. A resposta fica lá, enterrada na cabeça. Mas, a dúvida incomoda, inquieta, perturba, permanece te irritando. Você pode, sim, esquecê-la. Mas, ela pode ser o motivo de uma longa jornada. Acredito que se quisermos que xs alunxs tenham vida após a escola, então, que restem dúvidas e saibam perguntar. Que nem tudo esteja pronto e findável.

Hawking, aos 21 anos foi diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica, restando-lhe mais alguns meses de vida, como proposto pelos médicos da época. Viveu até hoje, 14/03/2018, com 76 anos completos, questionando os mistérios do Universo.

Questionamos, mas, para onde caminhamos?

 

Anúncios