384 – O ano em que meus pais saíram de férias [FILME]

Ao ler “Confesso que  perdi”, memórias de Juca Kfouri, publicado em 2017, deparo-me com uma sugestão de filme acerca do tricampeonato da seleção brasileira em 1970, “O ano em que meus pais saíram de férias”, de Cao Hamburguer. É este filme que indico e lhes disponho o trailer. O filme retrata a vida de um menino durante o exílio dos pais na ditadura militar de Emílio Garrastazu Médici, sendo deixado aos cuidados de um judeu, vizinho do seu avô já falecido, no bairro do Bom Retiro. O filme se torna belo pelo retrato antigo do bairro e pelos costumes daquela infância como o futebol de botão, contrastados pela truculência dos militares e o clima de tensão entre os jovens militantes. Futebol e política fortemente entrelaçados. Assim como parece ter sido as inúmeras conversas de Juca Kfouri com seus amigos próximos.

Juca, jornalista esportivo, conhecido por suas matérias investigativas, denuncia corrupções e ilegalidades dentro do futebol. Consequentemente, o diálogo com a política é constante em sua vida, tendo sempre como amizades pessoas imersas nessas discussões, como Sócrates, Fernando Henrique Cardoso, Lula, Zé Trajano, etc.  Suas memórias são uma grande oportunidade de aprendizado histórico da política e futebol brasileiro.

Anúncios

379 – Esperando pelo superhomem [DOCUMENTÁRIO]

Documentário que retrata o sistema educacional americano. À primeira vista, pode-se imaginar que o ensino básico americano tenha um dos melhores índices educacionais por se tratar de uma potência mundial, entretanto, o documentário revela péssimos desempenhos em matemática e leitura, associando os resultados à qualificação de professores de escolas públicas e às dificuldades sociais enfrentadas pelas famílias de menor renda em regiões mais periféricas.

A questão da estabilidade parece ser posta como tema central quando se discute o desempenho dos professores. Após dois anos de trabalho, os professores tem a garantia de não serem demitidos, independentemente da forma como estejam trabalhando. A estabilidade, portanto, é definida como o motivo de alguns professores não se dedicarem às suas atividades. A solução encontrada pelas escolas para lidar com este problema de “ineficácia” dos professores se resume basicamente em transferir seu profissional para outra escola, que por sua vez, transfere-o para uma terceira e assim sucessivamente. É a chamada “dança dos limões”.

Já no estado de Nova York, os professores “incompetentes” são destinados à audiência disciplinar. O processo de julgamento é lento, os professores ficam afastados das atividades, porém, comparecem a uma sala onde ficam a ler e jogar baralhos. Todo processo pode levar até três anos para algum tipo de decisão, sendo que durante todo esse tempo o professor continua recebendo seu salário integral, o que pelo documentário soma um valor de 100 milhões no ano.

Somado a isso, os jovens e principalmente mães e pais descontentes com a qualidade de ensino da escola, enfrentam uma acirrada disputa para ingressar numa escola qualificada. As mães apresentadas no documentário demonstram preocupação em garantir uma boa educação aos filhos, para tanto, tentam garantir o lado financeiro com a rígida rotina de trabalho. Ao final de um ciclo, a esperança ressurge com o sorteio de vagas para o ingresso em boas escolas. Isso se dá quando o número de candidatos é maior que o número de vagas.

O documentário aponta alguns problemas em específico, devemos, por outro lado, verificar o cenário educacional de forma complexa, buscando outras variáveis que possam influenciar no desempenho educacional americano. Importante ressaltar o cuidado de associar simploriamente os problemas educacionais somente ao desempenho de professores, estes que enfrentam tantos outros problemas como motivação, desgastes psicológicos, dificuldades financeiras, ritmo de trabalho. E por mais que o contexto seja o norte americano, fica claro que a área da educação é um desafio global que envolve a valorização do setor educacional público e consequentemente atrela as questões sociais de uma comunidade. Os problemas enfrentados aqui, em terras brasileiras, assemelham-se pela desvalorização do profissional da educação e a precarização das escolas públicas e, mais recentemente, das escolas privadas, quando tentaram anular a convenção coletiva dos professores da rede particular, documento que garante alguns direitos à classe de professores.

Bom documentário!

https://vimeo.com/67325868

Esperando pelo super-homem

270 – O grande desafio

Um filme que retrata debates entre faculdades em um contexto de intensa perseguição aos negros. Um grupo de estudantes negros da pequena faculdade Wiley irá confrontar a tradicional Universidade de Harvard.
Além de mostrar as privações de liberdade e ataques arbitrários aos negros, o filme inspira ao debate racional. A dedicação aos estudos para um debate lógico e fundamentado. Um ótimo filme para se trabalhar dentro do ambiente escolar.